Archive

Arquivos de tag para " Signos "

Alinhamento dos Planetas em Janeiro e Fevereiro 2016

Ceu 31/01/2016 Stellarium

Imagem obtida pelo programa Stellarium

Durante um mês, que começou dia 20 de Janeiro e terminará dia 20 de fevereiro, os cinco planetas visíveis a olho nu – Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno – estarão formando uma linha nos céus. Esse fenômeno é astronomicamente relevante, esteticamente belo, porém não é astrologicamente espetacular. Não se trata de uma conjunção juntando os cinco planetas visíveis, mas apenas estarão alinhados no céu.

Ceu 31 01 2016 astrologia What Watch

Céu 31 01 2016 do ponto de vista Astrológico

 

Observe o mapa do dia 20 de janeiro. Os planetas alinhados não formam aspectos significativos entre si, com exceção de Mercúrio, que já está em conjunção com Plutão, aproximando-se de uma conjunção com Vênus. A conjunção entre Mercúrio e Plutão traz facilidades na comunicação, tornando intensa a vida social, como também escândalos e maledicência, tanto a nível do indivíduo, como coletivo. Basta abrir os jornais para ver. Uma conjunção de Mercúrio com Vênus traz a diplomacia para centro dos acontecimentos. O tumulto que estamos vendo agora tenderá a se amainar, assim que as influências desta conjunção próxima se façam sentir.

Entretanto, no dia próximo dia dois de fevereiro teremos algo bastante digno de nota, astrologicamente falando. Uma conjunção quádrupla entre Lua, Vênus, Mercúrio e Plutão. Ela não é perfeita, já que Mercúrio está 5 graus distante. Numa situação destas, na minha opinião, é lícito considerar o orbe de Mercúrio (10º) e aproximá-lo desta conjunção, dada a capacidade deste astro de absorver as características dos planetas em que entra em contato. Mercúrio receberá toda esta influência e a propagará por onde andar, fazendo seu papel de mensageiro.

Astrologia 02/02/2016

Conjunção Quádrupla em 02/02/2016

Estes quatro astros estarão sobre o signo de Capricórnio, um signo de Terra, o que trará excesso deste elemento para o mapa como um todo. Isso significa estabilidade, determinação, mas também teimosia. Enquanto durar o excesso de Terra, as coisas dificilmente mudarão.

Capricórnio traz a razão sobre a emoção, que não significa que elas estejam ausentes. O amor estará centrado na construção do futuro, do tipo “quem casa, quer casa”. A raiva e o ciúme se transformam em vingança. Uma vingança planejada com cuidado.

Excesso de Terra 02/02/3016

Há visivelmente excesso de Terra no céu de 02/02/2016

 

A Lua contudo aumenta o emocional e em conjunção com Mercúrio bagunça esta pretensa racionalidade, já que esta conjunção faz com que o emocional seja mascarado por uma argumentação racional, como se estivéssemos justificando uma ação impensada por meio de uma desculpa pretensamente racional. Como temos Plutão presente, isso será coletivo. Cuidado com lideranças com fala muito emotiva. Alerta: neste momento estamos propensos a acreditar em discursos baseados em emoções, como exaltação ao nacionalismo, ódio a povos, culturas e ideologias.

Temos também a presença de Vênus. Vênus e Lua em conjunção trazem instabilidade pra as relações familiares. Felizmente Mercúrio esta aí para trazer diplomacia. Mas, cuidado com a manipulação, o lado negativo desta diplomacia. E Plutão agrava a questão de ciúme. Muitas discussões familiares rodearão tema. E, como já foi advertido anteriormente, tudo isto está ocorrendo em Capricórnio, que racionaliza todas as emoções. Cuidado com a vingança. Ela pode partir de uma ação sua, com resultados não desejados permanentes que precisam ser ponderados (uma vingança por ciúmes pode redundar em divórcio) ou você ser vítima dela. As pazes podem ser apenas aparentes. Melhor se preparar para o pior. Em nível coletivo, acordos podem ser desfeitos, alianças políticas quebradas e os resultados podem não ser bons para os envolvidos de qualquer lado.

O que fazer então? A Astrologia como qualquer oráculo traz uma informação que tem que ser trabalhada para ser transcendida. Os astros trazem influência como as nuvens trazem chuvas. Alguns vão se abrigar delas, outros terão capa e guarda-chuva e outros vão se molhar. Dos que vão se molhar, alguns não vão gostar e outros vão achar divertido. O serviço de meteorologia já fez a previsão. Levou ou não o guarda-chuva?

Os Quatro Elementos e suas Qualidades na Astrologia

astrologia3

Sabemos que a Ciência demonstrou que existem 92 elementos na natureza, e mais alguns deles criados artificialmente.

Então, porque continuar a falar em quatro elementos?

Os conceitos da Astrologia e de outras ciências esotéricas trabalham com o simbólico e se baseiam em uma tradição. Apesar da física e da química terem evoluído, ao longo dos séculos, o simbolismo permanece.

Os elementos tradicionais são: Terra, Água, Ar e Fogo. Se você observar, vai notar que correspondem aos quatro estados da matéria: sólido, líquido, gasoso e plasma. Não está tão longe assim da física moderna.

Os elementos também estão relacionados com as funções básicas da personalidade:

  • Fogo: a criatividade
  • Terra: as sensações físicas
  • Ar: o pensamento
  • Água: os sentimentos

Alguns autores associam o fogo à intuição, como a capacidade de antecipar o futuro. Todavia, a intuição, como oriunda do inconsciente, pode se aproximar da água, onde eu acho conveniente classificar.

Os quatro elementos também podem ser associados aos quatro naipes dos arcanos menores do Tarot (de onde surgiu o baralho comum)

  • Fogo: Paus, que representa a criatividade e as relações sociais;
  • Terra: Ouros, que simboliza os bens materiais e as relações profissionais;
  • Ar: Espadas, que representa o ato de analisar. Analisar significa “cortar em pedaços”. Conta-se que Merlim, brandia uma espada no ar e o Jovem Arthur perguntou: “Mestre, o que está fazendo?”. Merlim respondeu: “Estou pensando”. Espadas também representa os conflitos;
  • Água: Copas, que representa os sentimentos e as relações interpessoais e amorosas. Por isso, no baralho comum é representado por um coração.

Na Astrologia os elementos são agrupados em Triplicidades, pois agregam três signos que formam um triângulo equilátero na roda dos signos.

Astrologia signos qualidades

Qualidades

Quanto às qualidades, os elementos podem ser cardinais, fixos e mutáveis e estão associados a cada quatro signos.

A palavra cardinal significa “de fundamental importância”, pois são os signos que marcam o início das estações do ano: Aries (primavera, no hemisfério norte e outono, no sul), Câncer (verão no norte, inverno no sul), Libra (outono no norte, primavera no sul) e Capricórnio (inverno no norte, verão no sul).

Também podem ser associados aos pontos cardeais, como se a rosa dos ventos girasse no sentido anti-horário, partindo do Leste (nascimento do Sol): Aries, correspondendo ao Leste; Câncer, Norte; Libra, Oeste; Capricórnio, Sul. Perceba as razões dos nomes dos trópicos: Câncer (Norte)e Capricórnio (Sul).

Estes signos podem ser classificados como angulares, como se estivessem nos cantos de um templo quadrado (é provável que na antiguidade tenham sido construídos templos assim, com os ângulos apontados para os pontos cardeais).

Um outro nome associado à qualidade dos signos cardinais é impulsividade, como se estivessem energizados, pronto para ação.

De um modo geral, os nativos de signos cardeias são centrados e expansionistas: a ação parte do interior para o exterior. Psicologicamente falando, são extrovertidos.

Por aqui se começa a interpretação astrológica das características dos signos. Assim os citados signos cardinais terão as seguintes características:

  • Positivas: capacidade de agir, energia, coragem, iniciativa e audácia.
  • Negativas: agir sem pensar, autoritarismo em excesso, arrogância, falta de foco (quer “abraçar o mundo com as pernas”), temeridade (arrisca demais)

A segunda qualidade é a estabilidade associada aos signos ditos fixos. Assim, na impulsividade um processo é iniciado e na estabilidade ele é mantido. O exemplo mas claro é com o elemento fogo: uma fogueira foi acesa (impulsividade) e agora, para manter as chamas, continuo colocando lenha (estabilidade).

Numa analogia com a agricultura (provável motivador da criação da Astrologia), o plantio foi iniciado na primavera e preciso cuidar da plantação.

De um modo geral, os nativos de signos estáveis são centrados na interior, são introspectivos e suas ações no mundo partem após reflexão, no sentido de manter ou dar continuidade a uma ação já iniciada.

Os signos associados a esta qualidade são: Touro, Leão, Escorpião e Aquário. E suas características são:

  • Positivas: capacidade de concentração, capacidade de realização, determinação e atitude reflexiva.
  • Negativas: insensibilidade, egoísmo, obstinação, lentidão, apatia, imobilidade.

Por fim, a mutabilidade, a qualidade dos signos mutáveis, que são Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes.

A ação foi iniciada, foi mantida pelo tempo necessário, agora é necessário encerrá-la ou transformá-la em outra atividade. O fogo mutável se transforma em brasa e depois em cinza, podendo em alguns momentos ser reavivado. A colheita já foi feita, os grãos armazenados e a terra terá que ser novamente arada. Isso num cenário ideal, porém, se houver uma calamidade, como seca ou chuva excessiva, a qualidade demutabilidade será essencial, ou seja a capacidade de se adaptar às mudanças do exterior ou a tomada de ações para gerar uma alternativa.

Os nativos de signos mutáveis podem ser tanto introvertidos como extrovertidos, dependendo das condições do ambiente ou interiores, ou do elemento a que estão associados (Fogo e Ar conduzem a extroversão e Terra e Água, à introspecção). Podem ser líderes situacionais: ficam quietos num canto até que começa um incêndio, por exemplo, quando sabem exatamente o que fazer e conduzem as pessoas à solução do problema ou são os primeiros a socorrer as vítimas.

As características são:

  • Positivas: percepção e sensibilidade do momento de mudança, flexibilidade e adaptação às novas necessidades, ação em busca de novos rumos.

  • Negativas: inconstância; alternativas de atividade e inércia, bem como de entusiasmo e depressão. Dualidade, muitas vezes confundida com ”duas caras” (na realidade, ambas as faces são verdadeiras, não há dissimulação).

Estas qualidades podem ser combinadas com cada um dos elementos e com as polaridades.

 

As qualidades

Os Planetas – parte 1


sol-e-planetas

Além dos Signos, um outro grupo de personagens que habita os céus e a Astrologia são os Planetas.

A astrologia adota o significado original da palavra planeta, que significa “errante”, usado em oposição às estrelas, que, em relação à esfera celeste, aparentemente estão “fixas”. Portanto, para a Astrologia, o Sol e a Lua são planetas, pois são errantes, ou seja, se movem no céu para um observador da Terra.

Para o astrólogo o que interessa são suas influências em relação às pessoas.

As estrelas e constelações seriam apenas pontos de referência para analisar-se os reais atores do drama celeste, os planetas. É inegável a influência do Sol sobre a Terra, pois rege as marés e sem ele a vida seria impossível. Também é inegável a influência sobre as pessoas: compare um dia de sol brilhante e um nublado, por exemplo. E a lua também. Veja o termo “lunático”, aplicado às pessoas mentalmente perturbadas, associada a uma possível agitação maior destas pessoas em determinadas fases da lua. Tratar estes dois astros como planetas é bastante pertinente quando pensamos em Astrologia. Fora do mapa astral, o astrólogo sabe que o Sol é uma estrela e a Lua o satélite da Terra.

Ao todo são dez planetas: a lua e o sol e os planetas, excluída a Terra, embora possam ser considerados nos mapas alguns asteroides maiores como Quíron e Sedna e posições especias da lua, como Lilith e os nódulos lunares, que tem influência nos mapas astrais como um planeta.

Os planetas são classificados em três grandes grupos, os planetas pessoais, que estão mais próximos e com ciclo orbital (giro em torno do sol ou seu caminho na esfera celeste) próximos a um ano. Dado o tempo curt0 deste ciclo são os que mais influenciam o nosso dia a dia, por isso são pessoais. São eles:

  • Sol, com ciclo orbital de um ano (na realidade, obviamente este é o ciclo orbital da Terra)

  • Lua, com ciclo orbital de 27,33 dias (na realidade o movimento de revolução em torno da Terra)

  • Mercúrio, 88 dias

  • Vênus, 225 dias

  • Marte, 688 anos (aproximadamente um ano e 11 meses)

O grupo de planetas seguintes é o transicional. O ciclo destes planetas envolvem períodos grandes na vida de um indivíduo, correspondendo a fases de sua vida (por exemplo, infância, adolescência, vida adulta). São eles:

  • Júpiter, 12 anos

  • Saturno, 29 anos e meio

Saturno Deus

O último grupo são os planetas geracionais, assim chamados por influenciarem ou mais gerações. inteira.

  • Urano 84 anos

  • Netuno 165 anos

  • Plutão 248 anos

Apesar de Plutão ter perdido seu status de planeta, ainda é considerado como tal pela Astrologia.

Os planetas geracionais foram descobertos após a invenção do telescópio e não estão presentes na astrologia da Antiguidade e da Idade Média. Devido a seus ciclo extremamente lento, a percepção de sua influência pela geração de pessoas que a vive não é clara. O estudo da História e da Sociologia nos dá uma visão de períodos mais logos e conseguimos hoje em dia olhar de fora as gerações passadas, nossa própria geração e a juventude e adolescência do momento presente. Costumamos dar nome a elas (às vezes pejorativos), baby boomers (pós guerra até anos 60), geração X (anos 60-70), geração Y (anos 80-90, ironicamente chamada de Geração Coca-Cola) e geração Z (pós anos 2000).

Ou movimentos sociais oriundos da juventude: hippies, punks, darks, new wave, clubers, góticos.

Ou ainda as artes: impressionismo, cubismo, pós modernidade etc.. que afetam um grupo grande de pessoas.

Cubismo - Violino com Uvas - Picasso

Cubismo – Violino com Uvas – Picasso

Cada um dos planetas representa um papel no drama astrológico desenhado no céu de cada um de nós. Os consideramos os principais atores.

Vamos ver agora qual é o script atribuído a cada um deles. Inicialmente, os planetas pessoais, que como vimos tem uma influência mais forte no nosso dia a dia.

O Sol

sol simboloDevido à sua importância como astro, o Sol designa o nosso signo de nascimento, a que chamamos de signo solar. Seria o signo onde naquele momento o sol estaria presente. Ele rege aquelas características básicas que lemos em livros de astrologia populares, que nos contam como cada signo é.

O sol rege o signo de Leão. Simbolicamente, Leão está associado ao poder, autoridade e liderança, por isso tem o Sol como seu regente. A casa natural do Sol é a quinta casa, que se refere às diversões e aos prazeres e também a criatividade. Culturalmente é muito fácil associar o Sol a estas características. Quem não gosta de um dia ensolarado? Como não comparar o brilho de uma ideia criativa ao brilho do próprio Sol?

Na mitologia grega, o Sol está associado a Apolo, simbolizando outras características associadas ao astro-rei: juventude e vitalidade. Apolo também governa as artes (em especial a música), a cura e a profecia. Sua presença em determinada leitura indica momentos ou situações onde a individualidade pode se manifestar, ou seja, onde a luz da pessoa pode brilhar, como no dia de seu próprio nascimento.

Lua

lua simboloA Lua está associada à noite e seus mistérios e também à constante mutação. Astro feminino por excelência, rege o ciclo menstrual da mulher e também vários outros ciclos, como as marés (em conjunto com o Sol). Há vários mitos que envolvem criaturas da noite influenciadas por ela merecendo destaque as bruxas e os lobisomens.

Convém aqui desde já desmistificar a imagem da bruxa como malévola, distorção provocada pelo cristianismo, que demonizou a sabedoria feminina. Creio que está mais do que na hora as religiões cristãs deixarem seu pedestal e respeitarem a sabedoria de religiões ditas “primitivas” que reconheciam o valor das mulheres.

Astrologicamente, a Lua rege a impulsividade que dá força à criatividade, à intuição, à emotividade. Rege o signo de Câncer (o signo da emotividade) e tem como casa natural a quarta casa, o lar.

Na mitologia Lua está associada a diversas divindades, por exemplo, Hécate, a Deusa com três faces, representando três aspectos da Lua: brilho máximo (Lua cheia), brilho mínimo (Lua Nova), brilho diminuído (crescente e minguante); Selene (ou Luna), a Deusa dos mistérios e Diana (ou Ártemis), a Deusa da caça e irmã gêmea de Apolo. O culto a Diana acabou suplantando o das outras divindades, assumindo também algumas das características das outras deusas. Isso trouxe um certo prejuízo: Diana e Selene eram muito similares em muitos aspectos, porém diferiam em um, em quase total oposição: a relação com a sexualidade. Diana era um virgem irredutível, que inclusive se vingava de homens que a desejavam. Selene por outro lado dava livre vazão a seus desejos sexuais, mais adequada à imagem de cúmplice dos amantes que fazemos da Lua hoje.

Mercúrio

mercurio simboloMercúrio está relacionado à mente, ao processo de pensamento e às comunicações, à magia e à iniciação. Rege dois signos: Gêmeos e Virgem. Suas casas naturais são a terceira, das comunicações e a sexta, do trabalho. Tem um ciclo planetário de 88 dias, fazendo com que seja o planeta mais veloz do céu. Por esta razão ele está associado ao deus Mercúrio ou Hermes, que era o mensageiro dos deuses, representado algumas vezes com asas nos pés, outras, com um capacete com asas, ou ainda, as duas. Esta velocidade também era associada à esperteza, a capacidade de pensar rápido e tirar proveito disso.

venus simboloVênus

Vênus é o planeta do amor, das relações afetivas e das posses. É considerado um planeta benéfico, sendo às vezes chamado de o pequeno benfeitor. Vênus simboliza o que a pessoa atrai para si e como se relaciona com os outros. Rege os signos de Touro e Libra e suas casas naturais são a segunda, dos ganhos e gastos e a sétima, das relações próximas.

Vênus ou Afrodite na mitologia é a Deusa da Beleza e representa o arquétipo feminino, reunindo em si todos os atributos associados ao sexo feminino: beleza física, sensualidade, desejo, fragilidade e as emoções do amor, do ciúme e da vaidade. Por isso o seu símbolo foi usado para designar o sexo feminino.

Estes atributos são oriundo de uma cultura milenar patriarcal e são apenas arquetípicos ou simbólicos.

Marte

marte simboloMarte está associado à energia voltada para a ação, o impulso, a motivação de fazer as coisas. Rege o signo de Áries e sua casa natural é primeira casa, a casa do Eu. Na mitologia Marte é o Deus da Guerra e representa a masculinidade arquetípica, sendo o seu símbolo usado para designar o sexo masculino. A força física, a determinação, a agressividade, a ausência de delicadeza, o uso de armas a inteligência estratégica estão associados a ele. Também as emoções de raiva e ódio.

Do ponto de vista feminista, Marte encarna o típico machista: musculoso, violento, irracional. Na mitologia grega, ele e sua irmã Atena, deusa da Justiça e da Sabedoria, tiveram uma briga literalmente homérica e Marte saiu derrotado. A descrição da briga, feita por Homero, parece cena de um filme de super heróis, com montanhas sendo destruídas e vales sendo escavados. Simbolicamente significa a vitória da Justiça sobre a Guerra.

Como lado positivo temos a inciativa, a coragem e a paixão. Na mitologia Marte foi amante de Vênus, ambos movidos por uma paixão ardente.

guillemot mars venus

Astrologia, oráculos, terapias: como alteram o “destino”?

Astrologia

Pratico vários oráculos há muito tempo. Comecei com o Tarot, passei pelo Lenormand (o baralho “cigano”), leitura de mão, I Ching, numerologia e astrologia. Acabei aprendendo terapias alternativas, começando pelo Reiki, florias e cura quântica e cheguei às mesas radiônicas.

Uma coisa que percebi nos consulentes (termo tomado da cartomancia) é que mesmo que a leitura fosse precisa, o que eles desejavam era uma interferência direta em suas vidas e esperavam isso do oráculo.

A postura do oraculista normalmente é a célebre frase “as cartas não mentem jamais” reforçando uma crença, mesmo no ateu mais renitente, de que o destino é imutável. Isso é particularmente notável na astrologia e na numerologia. Há quem a cada acontecimento importante da vida vá consultar o mapa astral para ver que influências astrais estavam presentes naquele momento, às vezes para justificar uma besteira que fez.

cartomante2

 

Então eu me perguntei: se existe influência astrológica, onde ela está?

Se nascemos com um mapa astral gravado o local mais provável é o DNA. Lembrei-me das 12 camadas do DNA, que tem sido difundidas no meio esotéricos pelos canalizadores da entidade Kryon. A primeira camada seria o DNA como a ciência oficial conhece e as outras estariam em níveis mais sutis.

Então o mapa astral estaria gravado numa destas camadas? Talvez.

Como operador da Mesa Cristalina, que desdobra o DNA em suas doze camadas pra desprogramá-lo e reprogramá-lo, percebi, que se eu estivesse certo, poderia agir para mudar parâmetros do mapa astral, simplesmente desprogramando aspectos negativos e positivos e resolvi experimentar, obtendo resultados positivos com esta abordagem.

Um outro “local” de armazenamento seria o Inconsciente Coletivo e isso explicaria algumas particularidades da Astrologia. Resolvi estudar a história da Astrologia e verifiquei que ela foi inventada por uma sociedade agrícola onde todos dependiam da terra, das estações e de fenômenos meteorológicos, alguns cíclicos, que podiam ser previstos observando-se primeiro o sol e a lua, depois os demais planetas (chamados assim por se moverem contra o céu estrelado, ao contrário das estrelas). Numa sociedade fortemente a agrícola, do rei ao camponês, todos dependiam de uma colheita fértil. Prever o que iria acontecer com a plantação determinava como todos viveriam.

Os signos então estariam vinculados às estações do ano, que mudariam a cada três signos. O primeiro, seria cardinal, que indicaria o início da estação, o segundo fixo (a estação em sua plenitude) e mutável, que indicaria o fim da estação já sentindo os efeitos da seguinte.

Os caráteres dos signos mudariam conforme a estação progredia. Áries é o iniciador, marcava o plantio, Touro a espera e o cuidado, Gêmeos, o que nota os primeiros sinais do verão.

Entretanto sou brasileiro e moro no hemisfério sul. Por que um ariano brasileiro seria igual a um ariano europeu?

Pensei então no inconsciente coletivo. Fomos colonizados por portugueses, que traziam séculos de história armazenados em seu inconsciente coletivo onde a Astrologia fazia parte.

astrologia santos da igreja

 

E lá está a Astrologia, junto com os arquétipos, os deuses de várias culturas, os santos da Igreja Católica, o simbolismo dos animais associados às estrelas e aos signos e o centésimo macaco.

Uma análise em profundidade de um mapa astral pode revelar quais arquétipos poderão estar presentes nos conflitos pessoais de uma pessoa e servir de base para uma consulta em qualquer terapia. Um bom ponto de partida.

Da mesma forma que alteramos o DNA em seus filamentos mais sutis, poderemos alterar o “destino” de alguém, desprogramando dados no seu inconsciente mais profundo, como propõe as terapias de vidas passadas, a análise junguiana, a psicanálise, homeostase quântica da essência e as mesas radiônicas.

Assim conseguiríamos de certa o que o consulente do início da explanação desejava, alterar sua realidade futura a partir de um oráculo. Não da forma mágica infantilizada “de que tudo vai ficar bem, do jeitinho que eu quero”, mas de uma forma em que o consulente (ou interagente, como se diz hoje) possa evoluir e libertar-se do seu “destino”, saindo de seus condicionamentos.

 

 

Astrologia: Saindo dos Condicionamentos e alterando os aspectos negativos do mapa astral

Sou  operador da Mesa Radiônica Quântica e da Mesa Rede Cristalina. No atendimento como operador de Mesas Radiônicas senti falta de algo que me ajudasse no no diagnóstico, sobretudo no tratamento à distância. Foi então que me veio à mente usar a Astrologia para esta finalidade.

Assim, juntamente com Régia Prado, propus junto a IET Holística a criação de um curso de Astrologia para dar mais uma ferramenta para os terapeutas que operam mesas radiônicas.

O curso será ministrado dias 01/09/2015 e 08/09/2015, às 20:30 horas, hora de Brasília que corresponde a 02/09/2015 e 09/09/2015, às 00:30 , hora de Lisboa.

 

Astrologia Polaridades

Dentro da filosofia com que foram concebidas as mesas radiônicas, decidi então transformar a Astrologia em algo que possa ser mais uma ferramenta na mesa dos operadores, mesmo para aqueles que tivessem apenas um conhecimento mínimo de Astrologia.

Voltado para operadores de mesas radiônicas, este curso procurará, de forma libertária, mostrar que os condicionamentos que alguns convencionaram de chamar de destino, podem e devem ser superados. E uma das ferramentas para isso são as mesas radiônicas, como a Mesa Radiônica Quântica e a Mesa Rede Cristalina.

rc jpg

Visando tanto operadores leigos em Astrologia como para o que já a conhecem, o curso se propõe a mostrar através de alguns conceitos básicos, como fazer desprogramações de aspectos negativos, anulando-os ou transmutando-os em positivos e também como aproveitar o máximo dos aspectos positivos.

Este curso terá como tópicos.

1) Os caracteres padrões dos signos ou porque um Aquariano planeja, um Ariano começa, um Virginiano controla e um Taurino termina.

2) Os planetas e luminares nos influenciado ou por que eu fico nervoso se Marte está no meu signo?

3) Usando programas ou sites para construir um mapa astral. Uma ferramenta gratuita e um site confiável para você fazer suas experiências alquímicas combinando astrologia e as mesas radiônicas.

4) Focando na queixa do interagente: um passeio nas doze casas e diagnosticando o que está errado (e o que está certo também)

5) Beleza se põe na mesa. E astros e constelações também. Usando sua Mesa Radiônica ou Rede cristalina para resolver problemas através da Astrologia.

6) Um estudo de caso hipotético.

Serviço:

O que:              Astrologia: Saindo dos Condicionamentos e alterando os aspectos negativos do mapa astral
Quando:         dias 01/09/2015 e 08/09/2015, às 20:30 horas, hora de Brasília
.                           (que corresponde a 02/09/2015 e 09/09/2015, às 00:30 , hora de Lisboa).
Onde:              Para matricula e pagamento, acesse este link http://www.iet.pro.br/ct-astrologia_pt.htm

Para acesso a sala de aula – http://www.iet.pro.br/salas.htm

 Maiores informações:   http://www.iet.pro.br/contato.htm

Astrologia: As Polaridades e os Signos

Quando uma pessoa lê as características de seu signo, às vezes se pergunta como alguém chegou à conclusão de que, por exemplo, Aries é cheio de iniciativa, Touro é resistente à mudança e Sagitário é entusiasmado. Quando a Astrologia nasceu, não havia métodos estatísticos e, provavelmente, estas características nasceram da especulação filosófica, baseada nos conceitos normalmente aceitos na época e de uma observação qualitativa da natureza humana.Assim, estas características tem origem numa tradição que remonta à antiguidade e são construídas a partir de três fatores, presentes na filosofia a época em muitas culturas: a polaridade, os elementos e as qualidades de cada signo.Polaridade

A primeira característica que se costuma analisar em astrologia é a polaridade. A maneira humana de olhar o mundo é dual. Tendemos a pensar em termos de opostos e tentamos agrupar as coisas de acordo com esta visão.

A provável origem disso está no próprio princípio filosófico que norteou a formação da Astrologia: o homem se viu entre dois extremos: o Céu acima de sua cabeça e a Terra abaixo de seus pés e ele intermediando esta relação. Em vários mitos, sobretudo no Ocidente, Deus ou deuses agem na Terra através dos humanos ou motivados por eles. Seria nosso dever ocupar, e impor nossa criatividade sobre o planeta, e tal como Ele, fazendo surgir coisas novas.

Mesmo nos dias de hoje, onde aparentemente superamos esta visão de que há um Deus acima da nós, a humanidade busca dominar o planeta, e como nos diz Caetano, erguendo e destruindo coisas belas.

Assim estabelecemos a primeira polaridade: Céu e Terra.

O Céu é visto como criativo e ativo e a Terra, como receptiva e fértil.

A segunda forma de ver a polaridade, quer a sociedade seja matriarcal, patriarcal ou igualitária, é masculino e feminino.

A primeira associação que surge é Céu com o masculino e Terra, com o feminino (isso não é absoluto, pois pode haver culturas onde isso é inverso). E também o primeiro problema: a hierarquização entre os sexos e o estabelecimento de papéis aceitos para homens e mulheres.

Nos dias de hoje, onde há uma preocupação em tornar a sociedade mais igualitária, rompendo a discriminação da mulher, isso parece se opor a este esforço.

Jung coloca as coisas de forma mais abstrata, graças ao conceito de Arquétipo. Há um princípio masculino e um princípio feminino, traduzido por Animus e Anima respectivamente. Esse conceito popularmente é conhecido como lado masculino das mulheres (Animus) e lado feminino do homens (Anima).

Então, quando falarmos de polaridade feminina ou masculina estamos nos referindo a estes princípios arquetípicos.

Outra forma de pensar em polaridades é Dia e Noite ou vigília e sono. Apesar do Céu revelar-se por inteiro à noite, o dia é que está a ele associado. Durante o dia fazemos nosso trabalho (ativo) e à noite dormimos (passivo). E a noite é repleta de perigos, reais ou imaginários. Nela vivem os vampiros, lobisomens e outras entidades malignas que desparecem ao primeiro raiar do sol.

Aqui parece outra distinção importante, que radicaliza muitas vezes o discurso de polaridades:Bem e o Mal. Na sociedade judaico-cristã onde estamos inseridos, isso é tratado de forma absoluta e agrava o primeiro problema que apontamos: se colocamos na mesma tabela, o Mal ficará na mesma coluna do Feminino. É o mito de Eva tentando Adão e a colocação da mulher como origem do mal.

Felizmente, em Astrologia a questão de Bem e Mal está fora de questão. Não há julgamentos, apenas se analisam as correlações existentes, apontando facilidades e dificuldades (ou desafios). Os astros não nos julgam, só nos dizem (simbolicamente) algo.

Por fim a polaridade Yang (Céu) e Yin (Terra) da filosofia Chinesa ou positivo e negativo no Ocidente. Embora possamos pensar em termos de energia circulando entre polos (de uma bateria ou de um imã), a palavra negativo provoca algumas reações de rejeição de nosso inconsciente.

Pensar em positivo e negativo normalmente nos leva a ver as coisas de modo absoluto e estático. No meu ponto de vista, pensar em termos de processo em andamento é mais útil. O próprio símbolo de Yin e Yang nos mostra que nenhum dos dois conceitos é absoluto e que há uma constante mutação e transformação.

YinYang

Escolhemos então tabelar os signos e suas polaridades em Yang e Yin e Masculino e Feminino (no sentido de princípio arquetípicos). As outras polaridades (Céu/Terra, ativo/passivo, positivo/negativo, etc..) podem ser deduzidas, se houver necessidade.

Signos
Masculino / Feminino
Yang/
Yin
Aries
Masculino
Yang
Touro
Feminino
Yin
Gêmeos
Masculino
Yang
Câncer
Feminino
Yin
Leão
Masculino
Yang
Virgem
Feminino
Yin
Libra
Masculino
Yang
Escorpião
Feminino
Yin
Sagitário
Masculino
Yang
Capricórnio
Feminino
Yin
Aquário
Masculino
Yang
Peixes
Feminino
Yin

Este é o primeiro elemento a se levar em conta numa interpretação de um horóscopo. Saber a polaridade de um signo, quer ele seja solar, lunar, ascendente ou abrigue um planeta.

Quais as características de cada uma das polaridades Como optamos pela ênfase na dupla Yang e Yin, vamos consulta o I Ching. O Hexagrama mais carregado de Yang é Chien formado por seis linhas inteiras (hexagrama 1). Uma das traduções possíveis para Chien é “O Criativo” e corresponde ao Céu.

chien o criativo

Ele representa o poder criativo da divindade, seja ela qual for (ou do Universo, se escolhermos uma interpretação não teísta). As interpretações deste hexagrama estão relacionadas ao poder e à atividade em movimento no tempo e no espaço. Uma força de ordem cosmológica.

Como tudo na visão esotérica ela terá seu correspondente no mundo terreno, onde vivem a humanidade: atividade e criatividade oriunda do poder da sabedoria, da liderança e por fim da força, que se impõe por carisma ou poder pessoal.

Quem representa melhor esta imagem é um imperador, sábio, benevolente, mas poderoso e inatingível, podendo se tornar um tirano. Benevolência e tirania seriam os extremos. Na vida real, raramente encontramos um Gandhi ou um Adolf Hitler.

Os signos com este atributo tem um forte componente de iniciativa e criatividade, como atributos positivos e como negativos podemos encontrar arrogância e autoritarismo.

O hexagrama mais fortemente Yin é Kun, o hexagrama 2, formado por seis linhas interrompidas. A tradução normalmente aceita é “O Receptivo” e corresponde à Terra. Ele é o complemento de Chen (não seu oposto). Sem alguém que receba a energia emanada do poder, não há realização. O Reiki só se torna possível se a energia universal (Rei) se transformar na energia vital (Ki).

Kun o receptivo

Em diversas mitologias, a Terra não é um resultado de um ato de criação, mas da separação de princípios antes firmemente ligados. A necessidade de haver movimento para assim haver evolução faz com que esta força antes una, se divida em duas, de polaridades opostas, para que haja troca e, na troca, o movimento, criando todas as coisas.

Kun seria o mundo manifesto, o mundo onde a vida e a evolução são possíveis, não como uma ilusão, mas como um processo. Num mundo em perfeita harmonia, o Criativo dá e o Receptivo acolhe, e assim são geradas todas as coisas.

No mundo da humanidade, o que seria Kun? Sem pensar em conotações sexistas, seriam os valores normalmente atribuídos ao feminino: a intuição, a sensibilidade e a maternidade (tanto no sentido real como no figurado, por exemplo a geração de uma obra de arte).

O lado negativo seria a negação desta harmonia, quando estas duas forças estão em desequilíbrio, ou seja quando Chen tenta controlar Kun ou quando Kun tenta se sobrepor a Chen. Então Kun se torna vingativa, ciumenta e nega sustento (físico e emocional) à sua prole.