Archive

Arquivos de tag para " água "

Meditando com Runas – As Runas da Água

Os oráculos têm duas funções: uma, mais mundana, é de nos orientar em questões do dia a dia. Normalmente em decisões ou busca e uma saída para algum problema. Tentamos olhar um pouco à frente no futuro para tentar buscar uma vantagem no jogo da vida.

O segundo uso é para buscarmos a nossa evolução. A questão muda de “o que devo fazer”, para “o que preciso aprender”. Segundo várias tradições místicas a lição nos é apresentada repetidas vezes. Padrões de comportamento ou de “acidentes” indicam que alguém “lá de cima” está querendo lhe chamar a atenção. Por exemplo, por que eu machuco sempre a mão direita? Se não for óbvio (por exemplo, após uma meditação eu descubro que quando eu machuco mão direita estou sendo impedido de fazer alguma besteira, que eu faria se não acontecesse o acidente), um oráculo pode ajudar. E, indo um pouco mais além, mesmo quando tudo está uma maravilha na minha vida, eu lançar mão de um oráculo para saber qual é meu próximo passo evolutivo.

A maioria conhece as runas como processo de adivinhação. Alguns as conhecem como meios de encantamento ou proteção, mas poucos as conhecem como um guia de meditação.

A escolha runa tema pode ser por meio de um lançamento de uma única runa ou por, após termos visto sair a mesma runa várias vezes em várias tiragens. E duas específicas que podem ser escolhidas sem mesmo estar com um conjunto de pedras: Lagu, a runa da água e Gifu, a runa do perdão.

Primeiro veremos as runas da água.

Lagu, a runa da água

runa lagu

Os vikings, criadores das runas, eram excelentes navegantes e a água era primordial para eles, como é para todos nós. Quem mora em São Paulo e viveu o drama da falta de chuvas na Cantareira sabe disso. Quem vive no Nordeste também sabe de uma forma mais crônica.

Lagu é a água tanto no sentido físico como no simbólico: fluidez, emoções e relacionamentos.

Lagu limpa energeticamente as energias mal qualificadas e banha com energia pura a pessoa que está meditando. Isso pode ser feito diariamente e pode ser estabelecido como uma rotina.

Para fazer a meditação, basta estar em contato com a água. Pode ser no banho, lavando louça, o carro ou um animal de estimação. Ou até de forma imaginária. O melhor resultado é num banho de mar.

lagu banho de cachoeira runas

Durante o processo, imagine que a água é cristalina e brilhante. Se estiver imaginando, imagine você numa cachoeira ou num banho de mar. E recite mentalmente ou em voz alta o seguinte poema:

Runas da água

Eu me limpo
De todo o egoísmo
Do ressentimento
Das críticas a meus semelhantes
Da autocondenação
Da ignorância
E dos equívocos de minha vida.

Eu me banho
Em generosidade
Em apreço
Em louvor a meus semelhantes
Em autoaceitação
Em sabedoria
Em compreensão das minhas experiências de vida.

Repita os versos quantas vezes quiser. Não há contra indicações.

É particularmente recomendável esta meditação após uma situação onde houve alguma mágoa.

Os Quatro Elementos e suas Qualidades

astrologia1a


Sabemos que a Ciência demonstrou que existem 92 elementos na natureza, e mais alguns deles criados artificialmente.

Então, porque continuar a falar em quatro elementos?

Os conceitos da Astrologia e de outras ciências esotéricas trabalham com o simbólico e se baseiam em uma tradição. Apesar da física e da química terem evoluído, ao longo dos séculos, o simbolismo permanece.

Os elementos tradicionais são: Terra, Água, Ar e Fogo. Se você observar, vai notar que correspondem aos quatro estados da matéria: sólido, líquido, gasoso e plasma. Não está tão longe assim da física moderna.

Os elementos também estão relacionados com as funções básicas da personalidade:

  • Fogo: a criatividade
  • Terra: as sensações físicas
  • Ar: o pensamento
  • Água: os sentimentos

Alguns autores associam o fogo à intuição, como a capacidade de antecipar o futuro. Todavia, a intuição, como oriunda do inconsciente, pode se aproximar da água, onde eu acho conveniente classificar.

Os quatro elementos também podem ser associados aos quatro naipes dos arcanos menores do Tarot (de onde surgiu o baralho comum)

  • Fogo: Paus, que representa a criatividade e as relações sociais;
  • Terra: Ouros, que simboliza os bens materiais e as relações profissionais;
  • Ar: Espadas, que representa o ato de analisar. Analisar significa “cortar em pedaços”. Conta-se que Merlim, brandia uma espada no ar e o Jovem Arthur perguntou: “Mestre, o que está fazendo?”. Merlim respondeu: “Estou pensando”. Espadas também representa os conflitos;
  • Água: Copas, que representa os sentimentos e as relações interpessoais e amorosas. Por isso, no baralho comum é representado por um coração.

Na Astrologia os elementos são agrupados em Triplicidades, pois agregam três signos que formam um triângulo equilátero na roda dos signos.

triplicidades

Qualidades

Quanto às qualidades, os elementos podem ser cardinais, fixos e mutáveis e estão associados a cada quatro signos.

A palavra cardinal significa “de fundamental importância”, pois são os signos que marcam o início das estações do ano: Aries (primavera, no hemisfério norte e outono, no sul), Câncer (verão no norte, inverno no sul), Libra (outono no norte, primavera no sul) e Capricórnio (inverno no norte, verão no sul).

Também podem ser associados aos pontos cardeais, como se a rosa dos ventos girasse no sentido anti-horário, partindo do Leste (nascimento do Sol): Aries, correspondendo ao Leste; Câncer, Norte; Libra, Oeste; Capricórnio, Sul. Perceba as razões dos nomes dos trópicos: Câncer (Norte)e Capricórnio (Sul).

Estes signos podem ser classificados como angulares, como se estivessem nos cantos de um templo quadrado (é provável que na antiguidade tenham sido construídos templos assim, com os ângulos apontados para os pontos cardeais).

Um outro nome associado à qualidade dos signos cardinais é impulsividade, como se estivessem energizados, pronto para ação.

De um modo geral, os nativos de signos cardeias são centrados e expansionistas: a ação parte do interior para o exterior. Psicologicamente falando, são extrovertidos.

Por aqui se começa a interpretação astrológica das características dos signos. Assim os citados signos cardinais terão as seguintes características:

  • Positivas: capacidade de agir, energia, coragem, iniciativa e audácia.
  • Negativas: agir sem pensar, autoritarismo em excesso, arrogância, falta de foco (quer “abraçar o mundo com as pernas”), temeridade (arrisca demais)

A segunda qualidade é a estabilidade associada aos signos ditos fixos. Assim, na impulsividade um processo é iniciado e na estabilidade ele é mantido. O exemplo mas claro é com o elemento fogo: uma fogueira foi acesa (impulsividade) e agora, para manter as chamas, continuo colocando lenha (estabilidade).

Numa analogia com a agricultura (provável motivador da criação da Astrologia), o plantio foi iniciado na primavera e preciso cuidar da plantação.

De um modo geral, os nativos de signos estáveis são centrados na interior, são introspectivos e suas ações no mundo partem após reflexão, no sentido de manter ou dar continuidade a uma ação já iniciada.

Os signos associados a esta qualidade são: Touro, Leão, Escorpião e Aquário. E suas características são:

  • Positivas: capacidade de concentração, capacidade de realização, determinação e atitude reflexiva.
  • Negativas: insensibilidade, egoísmo, obstinação, lentidão, apatia, imobilidade.

Por fim, a mutabilidade, a qualidade dos signos mutáveis, que são Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes.

A ação foi iniciada, foi mantida pelo tempo necessário, agora é necessário encerrá-la ou transformá-la em outra atividade. O fogo mutável se transforma em brasa e depois em cinza, podendo em alguns momentos ser reavivado. A colheita já foi feita, os grãos armazenados e a terra terá que ser novamente arada. Isso num cenário ideal, porém, se houver uma calamidade, como seca ou chuva excessiva, a qualidade de mutabilidade será essencial, ou seja a capacidade de se adaptar às mudanças do exterior ou a tomada de ações para gerar uma alternativa.

Os nativos de signos mutáveis podem ser tanto introvertidos como extrovertidos, dependendo das condições do ambiente ou interiores, ou do elemento a que estão associados (Fogo e Ar conduzem a extroversão e Terra e Água, à introspecção). Podem ser líderes situacionais: ficam quietos num canto até que começa um incêndio, por exemplo, quando sabem exatamente o que fazer e conduzem as pessoas à solução do problema ou são os primeiros a socorrer as vítimas.

As características são:

  • Positivas: percepção e sensibilidade do momento de mudança, flexibilidade e adaptação às novas necessidades, ação em busca de novos rumos.

  • Negativas: inconstância; alternativas de atividade e inércia, bem como de entusiasmo e depressão. Dualidade, muitas vezes confundida com ”duas caras” (na realidade, ambas as faces são verdadeiras, não há dissimulação).

Estas qualidades podem ser combinadas com cada um dos elementos e com as polaridades.

No próximo artigo veremos cada um dos elementos e seu papel na Astrologia.